Administração condiciona suspensão da GREVE para apresentação de proposta e categoria diz NÃO!

Trabalhadores avisaram desde o início: "se não negociar, a GREVE não vai parar"!

Em uma reunião intermediada pela CUT ABC, presidentes de sindicatos, o coordenador regional da Central, o presidente da Câmara Municipal, José Ferrarezi, e a Administração debateram, na manhã e tarde de ontem (20), a GREVE dos trabalhadores públicos de São Bernardo, que completa nove dias. O SINDSERV reiterou a pauta de reivindicações apresentada no dia 13 de fevereiro e incluiu o não desconto dos dias parados e nenhuma forma de punição aos grevistas na pauta. Os representantes da Administração chegaram a sinalizar a possibilidade de apresentação de uma proposta, porém, para frustração das centenas de pessoas que aguardavam no Paço e na Câmara, impuseram uma condição: "suspendam a GREVE para que possamos iniciar as negociações em uma reunião às 17h".

Cladeonor Neves, coordenador da CUT e um dos intermediadores da reunião, apresentou as condições à categoria: "Como vocês sabem, na Assembleia de sexta-feira fomos autorizados pela categoria a buscar um entendimento entre o SINDSERV e a Administração. Vários presidentes de sindicatos empenharam-se em conversas e consultas e hoje chegamos a esta proposta. É nossa obrigação trazer o resultado deste esforço ao conjunto da categoria".

O presidente Giovani Chagas perguntou se algum trabalhador gostaria de defender a proposta, e como ninguém se manifestou, colocou em votação. Por unanimidade, a categoria rejeitou a imposição do governo e manteve a GREVE!

Pesquise