“Paz entre nós, guerra aos senhores”

Administração vai investir, cada vez mais, na desunião entre os trabalhadores. De que lado você quer ficar?

Existe um hino da classe trabalhadora, "A Internacional", que num certo trecho diz:

"Nós fomos de fumo embriagados

Paz entre nós, guerra aos senhores

Façamos greve de soldados

Somos irmãos, trabalhadores".

Ele cabe muito bem ao momento que vivemos em nossa GREVE, pois não há fumo mais embriagador e gerador de confusão que a desunião entre os trabalhadores, seja ela gerada pelo patrão ou por oportunismos torpes.

O momento é exatamente de garantir A PAZ ENTRE NÓS e não entrar no jogo dos SENHORES a quem declaramos guerra!!!

Por isso, quando você posta textos ou opiniões que servem para investir em nossa desunião, você faz o jogo de quem quer nos embriagar com a desunião.

Quando você reproduz, curte ou compartilha questões carregadas de ódio contra os próprios trabalhadores, você promove a GUERRA ENTRE NÓS e presta um serviço aos senhores!

Já dissemos que nossa GREVE é justa, legal e linda! Mas, infelizmente, algumas pessoas (pouquíssimas, é verdade) não se envergonham em investir em seu fracasso, como se quisessem dizer depois: "eu avisei que a categoria não estava preparada". Por isso, queremos pedir sua ajuda para desconstruirmos algumas mentiras e boatos que visam, exatamente, nos dividir e impor confusão ao nosso movimento:

 

1 – Contato com a imprensa:

Nosso Sindicato tem uma assessoria de imprensa que, cotidianamente, encaminha releases aos veículos de comunicação. Na GREVE, este trabalho foi intensificado. TODOS OS DIAS, desde a decretação da GREVE, em 7 de maio, jornais, rádios, TVs, sites e blogs, sejam grandes ou pequenos, de direita ou de esquerda, receberam as matérias sobre o movimento.

Quem determina o que é publicado ou não, SÃO OS DONOS DAS EMPRESAS DE COMUNICAÇÃO, que no caso das TVs, são comandadas por SEIS FAMÍLIAS em todo o Brasil. Portanto, não é verdade que o SINDSERV não está empenhado em fazer com que a GREVE repercuta na mídia.

Como você pode ajudar: envie mensagens via WhatsApp, Twitter, email, telefone, sinal de fumaça, para todos os veículos de comunicação que você acha que devem divulgar nossa GREVE peça a quem propaga mentiras na rede para que parem de fazer isso.

Como você pode atrapalhar: curta, compartilhe e confirme a opinião de quem está fazendo o jogo da Administração e diga que a Globo não deu a notícia sobre a GREVE porque o Sindicato é tão poderoso que manda e desmanda na pauta da empresa.

 

2 – Reunião e Assembleia no Paço

Graças à pressão exercida por cada um dos 8 mil trabalhadores que foram às ruas no dia 20, e com a intermediação da CUT ABC, ocorreu uma reunião entre presidentes de sindicatos, o coordenador regional da Central, o presidente da Câmara Municipal e representantes da Administração, com o objetivo de buscar uma solução para os impasses vividos entre governo e trabalhadores, que resultaram em nossa GREVE. O SINDSERV NÃO PARTICIPOU DESTA REUNIÃO, cujo resultado foi apresentado em Assembleia, no Paço, às 15h.

A proposta governista foi: suspendam a GREVE e nós iniciamos as negociações às 17h. A resposta da categoria foi: NÃO! SE NÃO NEGOCIAR, A GREVE NÃO VAI PARAR!

Em nenhum momento o coordenador da CUT, Cladeonor Neves, defendeu a proposta do governo. Em momento algum QUALQUER DIRETOR DO SINDSERV, especialmente seu presidente, Giovani Chagas, defendeu a proposta governista. PORÉM, toda e qualquer proposta, por mais absurda que pareça, precisa ser analisada e decidida pela categoria. Foi para isso que decretamos Assembleia Permanente! O Sindicato representa a categoria nas negociações, mas não vai tomar nenhuma decisão sem avaliação da categoria. O SINDSERV negocia, mas quem decide é a categoria!

Como você pode ajudar: Divulgue a verdade! Sindicalistas de todo o ABC, e até os vereadores, se empenharam na busca de uma solução, mas A ARROGÂNCIA DA ADMINISTRAÇÃO impediu que uma proposta decente fosse apresentada!

Como você pode atrapalhar: compartilhe textos de quem quer ver o movimento fracassar, onde colocam em dúvida o papel exercido pelo Sindicato nesta Assembleia. Tem gente dizendo que nosso presidente "estava com cara de quem queria aprovar a proposta da prefeitura". Oras! Ele está com cara de quem não dorme mais do que três horas por dia desde o dia 7 de maio! E tenham a certeza de que nenhum diretor do SINDSERV vai esconder o que pensa e o que defende atrás de "cara de sei lá o que"!!! Nossa Diretoria acredita na democracia, na categoria e vai defender, com clareza, o que acredita. SE NINGUÉM DEFENDEU A PROPOSTA GOVERNISTA, NO DIA 20, É PORQUE NINGUÉM ACREDITAVA NELA!

 

3 – Ocupação da Câmara

Um grupo de cerca de 80 trabalhadores decidiu permanecer na Câmara na tarde do dia 20, no momento em que aconteceria a Assembleia no Paço. Eles temiam não poder retornar e preferiram ficar nas galerias do Legislativo. Mais uma vez, quem faz o jogo do patrão e da turma do "quanto pior, melhor" decide espalhar mentiras na internet, especialmente no WhatsApp. O papel do SINDSERV, neste episódio, foi o de ir até o espaço e informar aos trabalhadores que os interlocutores da reunião com a Administração apresentariam uma suposta proposta, que deveria ser analisada e decidida pela Assembleia. Participar da Assembleia É UM DIREITO DO TRABALHADOR e o Sindicato não poderia deixar de convocar a todos. A decisão de ficar no prédio foi tomada depois que o presidente Giovani Chagas perguntou aos manifestantes se eles concordariam com a decisão que seria tomada na Assembleia. A resposta foi positiva, seguida de demonstração de confiança na categoria e na direção da Assembleia.

Desde então, o SINDSERV prestou total apoio a quem ocupou a Câmara, desde na questão de alimentação, até no acionamento do nosso Departamento Jurídico, que ficou em plantão para qualquer necessidade. Também foi feito contato com o presidente da Câmara, que assumiu o compromisso de não mandar tirar os trabalhadores a força.

Como você pode ajudar: siga o exemplo dado pela Diretoria do SINDSERV, pelos Comitês Sindicais de Base e por vários trabalhadores que se solidarizaram com os ocupantes da Câmara! Nossos Diretores passaram a noite acampados no Paço, dando total suporte a quem ficou dentro do prédio. Se você não pode acampar no Paço, envie mensagens de apoio e solidariedade!

Como você pode atrapalhar: divulgue os "monstros" criados por quem quer dividir a categoria! Teorias da conspiração, de quem está vivendo no mundo da Lua, achando que o convite à participação na Assembleia foi uma "tática para esvaziar a Câmara" circularam nos grupos. Se você quer atrapalhar, compartilhe este absurdo!

 

4 – A GREVE é combinada, porque o presidente do Sindicato é amigo do prefeito

Uma coisa legal nessa GREVE é o bom humor. Mas, nada é mais engraçado do que esta afirmação! Alguém, num estado normal de consciência, é mesmo capaz de acreditar que um movimento com as proporções do nosso é combinado? Alguém, que não esteja a serviço de quem quer ver a GREVE fracassar, teria coragem de dizer tal absurdo?

Como você pode ajudar: diga a quem tenta nos dividir que esta GREVE é fruto da organização da categoria, do trabalho sério feito pelo SINDSERV, da construção e atuação exemplar dos Comitês Sindicais de Base. Esta grande adesão e as manifestações gigantescas promovidas todos os dias são o resultado desta organização, somadas ao grito que estava preso nas gargantas de milhares de mulheres e homens que dedicam suas vidas ao bem comum e que foram vítimas das mais variadas formas de desrespeito e assédio moral! Não é só pela questão econômica! É pela consciência de classe que despertou em milhares, desde a organização da nossa JORNADA DE LUTAS nesta Campanha Salarial.

Como você pode atrapalhar: una-se à turma do "mimimi", tente partidarizar um movimento que é de todos os trabalhadores, com seus mais variados credos, ideologias, times de futebol, opções sexuais, espalhe desavenças e mentiras plantadas por quem quer nos dividir, faça o jogo do "patrão"!

 

5 – O Sindicato está tentando preservar o prefeito

Mais uma piada impressionante!!! Quem propôs a necessidade da organização de UMA GRANDE GREVE, desde o momento em que a Administração desrespeitou nossa data-base, foi o SINDSERV. Teve gente que disse, inclusive, que a categoria "não estava preparada", mas o Sindicato insistiu, pois tinha plena confiança nos trabalhadores, porque age na base, não em reuniões intermináveis de quem acredita que "inventou a roda". Oras bolas, quem quer preservar o prefeito organiza, prepara, defende e dirige uma GREVE?

Alguns, no auge da maldade, citam que o Sindicato não quis ir a uma inauguração e a uma atividade no Cenforpe, que contaram com a presença do chefe do Executivo. No caso da inauguração, houve um debate no Comando de GREVE e o argumento de que precisávamos aumentar o apoio da população ao nosso movimento, prevaleceu. Pensem conosco: o cidadão espera, durante anos, uma UBS em seu bairro e, no dia em que ela vai ser inaugurada, os trabalhadores públicos impedem com uma manifestação. A avaliação da maioria foi que seria prejudicial à nossa tentativa de aproximação com o povo da cidade! No caso do CENFORPE, o número de trabalhadores havia diminuído muito no final do dia e a grande maioria estava muito cansada para seguir em mais uma caminhada. Ali, ou teríamos um grande número de trabalhadores, ou não adiantaria participar.

Como você pode ajudar: nosso movimento é extremamente democrático! Você pode propor ações e debatê-las livremente, respeitando as opiniões contrárias e a decisão da maioria. Nossa GREVE é responsável, não queremos cometer erros que prejudiquem os trabalhadores e, por isso, às vezes é necessário buscar alternativas para a realização de atividades de maior impacto.

Como você pode atrapalhar: compartilhe os absurdos ditos por quem quer nos dividir e por quem faz o jogo do "patrão". Pense bem: quem quer preservar o prefeito teria organizado uma GREVE?

 

6 – O Sindicato deveria ter ido à Justiça!

Chega de querer que os outros resolvam nossos problemas! Chega de querer que a Justiça faça aquilo que não tínhamos coragem de fazer! Chega de inventar desculpas para levantar a cabeça, dizer um basta ao assédio e ao desrespeito!

Qualquer ação judicial leva anos para ser finalizada! São inúmeras possibilidades de recursos e postergações. Nossa atitude tinha que ser política, de coragem e de disposição de luta! Foi o que fizemos e o resultado está estampado na cidade: milhares de homens e mulheres lutando por seus direitos!

A decisão e a atitude tinham que ser políticas, mas nem por isso deixamos os aspectos jurídicos de lado. Tomamos todas as precauções necessárias para impedir que a arrogância e a truculência do governo prejudicassem os grevistas!

Como você pode ajudar: pare de buscar desculpas em opiniões de advogados, amigos, parentes e vem pra luta! Temos milhares de pessoas nas ruas, caminhando, com fé e coragem, deixando suas famílias, lazer e outras atividades para LUTAR POR TODOS, LUTAR PELO COLETIVO! Quer ajudar? VENHA FAZER PARTE DA MAIS BELA PÁGINA DE NOSSA HISTÓRIA DE TRABALHADORES PÚBLICOS DE SÃO BERNARDO!

Como você pode atrapalhar: faça o inverso do sugerido acima e continue compartilhando teses de quem acha que o direito de greve não chegou ao serviço público. Continue publicando as mentiras, pressões e ameaças da Administração como se fossem "verdades absolutas". Continuem divulgando decisões judiciais prejudiciais aos trabalhadores de outras categorias como se elas pudessem ser aplicadas automaticamente a nós. Continue fazendo o jogo do "patrão".

 

Bem, parece que estes seis pontos já ajudam a derrubar alguns dos "mitos da internet" que surgiram nos últimos dias, mas, vamos continuar atentos e respondendo um a um.

É importantíssimo ressaltar que QUEM TEM AGIDO PARA DIVIDIR NOSSO MOVIMENTO É UMA MINORIA, pois mais de 70% da categoria aderiu à GREVE e grande parte destes trabalhadores e trabalhadoras que aderiram estão nas ruas, todos os dias, de braços dados, lutando por um mesmo ideal.

E pra você que sabe que o mais importante é a paz entre nós, segue a letra d'A Internacional!

 

De pé, ó vítimas da fome

De pé, famélicos da terra

Da ideia a chama já consome

A crosta bruta que a soterra

Cortai o mal bem pelo fundo

De pé, de pé, não mais senhores

Se nada somos em tal mundo

Sejamos tudo, ó produtores

REFRÃO

Bem unidos façamos

Nesta luta final

Uma terra sem amos

A Internacional

Senhores, Patrões, chefes supremos

Nada esperamos de nenhum

Sejamos nós que conquistemos

A terra mãe livre e comum

Para não ter protestos vãos

Para sair desse antro estreito

Façamos nós por nossas mãos

Tudo o que a nós nos diz respeito

REFRÃO

O crime de rico, a lei o cobre

O Estado esmaga o oprimido

Não há direitos para o pobre

Ao rico tudo é permitido

À opressão não mais sujeitos

Somos iguais todos os seres

Não mais deveres sem direitos

Não mais direitos sem deveres

REFRÃO

Abomináveis na grandeza

Os reis da mina e da fornalha

Edificaram a riqueza

Sobre o suor de quem trabalha

Todo o produto de quem sua

A corja rica o recolheu

Querendo que ela o restitua

O povo só quer o que é seu

REFRÃO

Nós fomos de fumo embriagados

Paz entre nós, guerra aos senhores

Façamos greve de soldados

Somos irmãos, trabalhadores

Se a raça vil, cheia de galas

Nos quer à força canibais

Logo verás que as nossas balas

São para os nossos generais

REFRÃO

Pois somos do povo os ativos

Trabalhador forte e fecundo

Pertence a Terra aos produtivos

Ó parasitas deixai o mundo

Ó parasitas que te nutres

Do nosso sangue a gotejar

Se nos faltarem os abutres

Não deixa o sol de fulgurar

REFRÃO

 

A Internacional (em francês: L'Internationale) é um hino internacionalista, sendo também uma das canções mais conhecidas de todo o mundo.

A letra original da canção foi escrita em francês em 1871 por Eugène Pottier (1816-1887), que havia sido um dos membros da Comuna de Paris. A intenção de Pottier era a de que o poema fosse cantado ao ritmo da Marselhesa. Em 1888, Pierre De Geyter (1848–1932) transformou o poema em música.

Pesquise