Categoria rejeita proposta da Administração e a GREVE continua

SINDSERV defende rejeição da proposta: Direito se amplia e não retroage!

Na manhã de 1º de junho, há 20 dias em GREVE, trabalhadores públicos estiveram na Praça Santa Filomena, às 9h, para Assembleia de aprovação ou rejeição da proposta da Administração, apresentada na última sexta-feira, 29.

Diante dos riscos que a redação da contraproposta governista apresenta, especialmente em relação às faltas, se serão consideradas injustificadas, ou não, o Presidente do SINDSERV, Giovani Chagas, propôs a suspensão da Assembleia até às 11h, para que os representantes da categoria fossem ao Paço e, em uma reunião com o secretário de Administração, exigissem que ele explicitasse isso. "A redação apresentada é ambígua, ela nem trabalha como falta justificada e nem como injustificada, ela trabalha como horas paradas, e nesse sentido fomos falar com o governo para ajustar essa redação. Mas, os secretários não mexeram em nada, não mudaram nenhuma palavra. Uma vez que a proposta não traz a segurança necessária aos trabalhadores, o SINDSERV rejeita essa proposta!", afirma Chagas.

Em seguida, foi aberta a palavra para que um trabalhador falasse contra a proposta e outro defendesse. Diante das falas, a categoria REJEITOU a proposta e a GREVE continua!

Fundo de GREVE

A Assembleia também votou a favor criação do fundo de greve, para auxiliar os companheiros e companheiras que foram prejudicados com os descontos.

"Nós não estamos de brincadeira"

Depois, os trabalhadores seguiram em caminhada até o Paço, o que ocasionou trânsito intenso pelo centro de São Bernardo.

A união, a unidade da categoria é o que faz a diferença. Vem pra luta você também!

Pesquise