TRABALHADORES EM ESTÁGIO PROBATÓRIO

manifestaçãoConforme divulgado amplamente, um grupo tomou a iniciativa unilateral, sem autorização da categoria, para "pedir mediação do Ministério Público do Trabalho". Este é um erro gravíssimo, tanto política, quanto juridicamente, pois a Justiça do Trabalho não é o fórum adequado para encaminhar ações relativas a uma greve no serviço público.

A intenção de nossa Direção é evitar confrontos, neste momento, com grupos políticos que agem na nossa GREVE, porém, precisamos orientar e esclarecer aos trabalhadores os verdadeiros riscos a que estamos submetidos por conta de atitudes irresponsáveis. Então, aqui não se trata de, novamente, criticar a atitude do grupo político em questão, mas de orientar com objetividade aos trabalhadores. Diante disso, precisamos esclarecer que:

- Nosso Departamento Jurídico está tomando todas as medidas possíveis para impedir que qualquer pessoa ou grupo tente se passar por representante dos trabalhadores, colocando em risco a nossa GREVE, nos dividindo politicamente e levando aflição a centenas de famílias.

- Vamos provar ao Promotor de Justiça que ainda não esgotamos o processo de GREVE e que não pretendemos "judicializar" o movimento. Assim, esperamos que ele compreenda que a iniciativa isolada não representa a opinião da maioria dos trabalhadores, não foi decidida em Assembleia, nem foi tomada pelo legítimo representante eleito para representar os trabalhadores públicos de São Bernardo, que é o SINDSERV, através de sua Diretoria.

- Vamos provar que as assinaturas colhidas são ilegítimas, prática idêntica à de Cleuza/Marinho depois da Assembleia sobre o Estatuto da Educação, pois há inúmeros testemunhos de trabalhadores que sentiram-se ludibriados a assinar o documento, alguns considerando que era, inclusive, a lista de Ponto Paralelo.

Diante de tantos testemunhos e da resposta dada pela categoria na Assembleia de hoje, está claro que A DECISÃO DO COLETIVO É PELA CONTINUIDADE DA GREVE E DA LUTA POLÍTICA QUE ELA REPRESENTA, não por sua "judicialização".

Portanto, diante destes argumentos, queremos tranquilizar aos trabalhadores e às trabalhadoras em estágio probatório que aderiram à GREVE, que confiaram na palavra da Direção do Sindicato, que lhes disse ter tomado todas as medidas preventivas para evitar tais riscos, mas que, infelizmente, não contava com esta atitude isolada.

Queremos, mais uma vez, pedir sua confiança em nossa Direção e, mais do que isso, na força do nosso movimento! Vamos continuar juntos, na luta, até a vitória!

Pesquise