Campanha Salarial é prioridade!

Diretoria eleita definiu, em planejamento realizado na última semana de janeiro, que a Campanha Salarial 2017 é a grande prioridade no primeiro semestre. Mais uma vez, a categoria é chamada à luta pela ampliação de nossos direitos!

CampSal

A Campanha Salarial de 2015 ainda está viva na memória de nossa categoria! Diante da dificuldade na negociação com a Administração, a categoria foi à luta e realizou a maior greve de nossa história. O acordo, aprovado em assembleia, garantiu reposição salarial de 19,61% em 2016, além de abonos.

Mais uma vez, somos chamados à luta! A Diretoria do nosso Sindicato debateu com prioridade as estratégias para a Campanha Salarial 2017 e está empenhada no estudo dos índices e na discussão das demandas dos mais variados setores.

NENHUM DIREITO A MENOS!

A onda neoliberal que varreu o país no último ano, tenta nos impor a ideia de que o serviço público é o grande culpado pela crise e que os servidores são “marajás”. Nós sabemos muito bem que isso é uma grande mentira e não vamos admitir a perda de direitos! A inflação do último período corroeu parte de nossos salários e o novo prefeito assumiu vários compromissos prometendo valorização dos servidores durante sua campanha. Por isso, não vamos aceitar a perda de direitos!

APOSENTADOS TAMBÉM MERECEM RESPEITO!

Neste período de retirada de direitos, nossos aposentados entram na mira dos que querem nos impor derrotas! O SINDSERV reafirma seu compromisso de lutar pelos direitos de quem já fez tanto por nossa cidade, com ou sem paridade, na luta pelos mesmos direitos que os trabalhadores da ativa!

DIÁLOGO COM PREFEITO JÁ FOI INICIADO

Antes mesmo de tomar posse, a nova Diretoria do SINDSERV reuniu-se com o prefeito Orlando Morando para discutir a relação entre a entidade e a Administração. O presidente José Rubem e a Secretária Geral Vívia Martins, encontraram-se com o chefe do Paço e seu vice no dia 5 de janeiro, quando ficou estabelecido o reconhecimento da Mesa Permanente de Negociações como espaço de diálogo entre a categoria e o governo. O prefeito falou em “austeridade” para garantir o pagamento dos salários dos trabalhadores públicos. Para o Sindicato, não basta apenas cumprir o que já está garantido: é preciso valorizar, como prometido, a categoria.

Pesquise