Trabalhadores vão às ruas, lotam Câmara e dizem BASTA ao desrespeito

SINDSERV organizou ato que percorreu ruas da cidade, enquanto auxiliares em educação lotavam as galerias da Câmara. Apoio de munícipes e representantes de entidades cresce a cada dia.

dia do bastaO 8 de Maio ficará marcado em São Bernardo como o dia em que trabalhadores públicos, unidos a representantes de entidades dos movimentos sindical e popular e apoiados por importante parcela da população disseram BASTA às ações desrespeitosas e autoritárias da Administração municipal.

Ainda nem havia clareado o dia e dirigentes do SINDSERV já estavam posicionados na Praça Santa Filomena, marco histórico da luta dos servidores na greve de 2015. Ali, representantes de importantes entidades sindicais, como a CUT ABC, a Confetam e a Fetam-SP, além de apoiadores dos movimentos sociais, como as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, tiveram a oportunidade de dialogar com a população e apresentar um quadro do atual estado de desrespeito vivido pelos servidores, da onda de perseguição contra o Sindicato e do abandono da cidade.

De lá, marcharam pelas ruas Marechal Deodoro e Faria Lima até o Paço Municipal, onde mais de 300 auxiliares em educação já marcavam presença desde a abertura da Câmara Municipal.

Na avaliação da diretoria, o ato demonstrou a força e o respeito que o SINDSERV mantém entre os servidores e entidades parceiras e pode ser o impulsionador final para o processo de mobilização da categoria: "Estamos muito felizes em ter companheiros de tantos sindicatos e movimentos populares nos apoiando, isso é fundamental para que a própria categoria perceba que sua entidade de classe continua forte, apesar de todos os ataques irresponsáveis por parte do governo. Temos plena convicção de que este dia vai servir para animar nossa base para vir para a luta", apontou a a direção em nota.

Na mesma linha de perceber um novo momento de articulação e organização da categoria, o SINDSERV, comemorou a representatividade do ato, mas lamentou a conjuntura desfavorável e de retirada de direitos dos trabalhadores: "É gratificante ver que nossa categoria está, mais uma vez, mostrando sua força e sua garra, como já fez em outras oportunidades, mas não podemos deixar de lamentar as dificuldades que os governos vem nos impondo, com retirada de direitos e desmonte de nossas conquistas históricas. Isso se agrava aqui em São Bernardo, pois muitos trabalhadores acreditaram que seriam valorizados, mas o que recebemos até agora foi arrocho e retrocessos".

Agora, com a excelente repercussão do ato, a diretoria do SINDSERV vai planejar, em conjunto com a Comissão de Representação e com as Comissões de Mobilização, os próximos passos de nossa luta.

30 horasAuxiliares lotam o Paço, vão à Câmara e protocolam minuta de Lei das 30 Horas

Como parte das atividades do Dia do Basta, mais de 300 auxiliares em educação, muitos acompanhados por familiares, ocuparam o Paço Municipal para lutar pela readequação da jornada de trabalho, com carga de 30 horas semanais, sem redução nos salários.

Com limite de 250 pessoas para ocupação das galerias da Câmara, muitos ficaram no Paço dialogando com a população e aguardando os encaminhamentos da ação dentro do Legislativo. Lá, a Comissão de Auxiliares fez uso da tribuna, onde foi apresentada a ideia de projeto de Lei elaborada sob assessoria do departamento jurídico do SINDSERV. Vários vereadores se manifestaram favoravelmente à reivindicação e convocaram representantes da comissão para uma reunião específica, realizada com a suspensão dos trabalhos na Sessão.

Depois, a proposta/minuta de Lei construída pelos auxiliares foi protocolizada em todos os gabinetes dos 28 vereadores.

Para a diretora de comunicação do Sindserv e auxiliar em educação Luciana Rocha, o balanço da atividade é extremamente positivo: "Nós sabemos que a influência do Executivo é muito grande, mas saímos da Câmara com a sensação de que a maioria absoluta dos vereadores compreendeu que nossa causa é justa, técnica e financeiramente viável. Isso é um grande passo para que possamos ver a readequação da jornada de trabalho efetivada, fazendo justiça aos trabalhadores, melhorando a qualidade do atendimento às crianças e reduzindo o número de afastamentos para tratamento de saúde. Enfim, todos ganham, a cidade ganha", concluiu Luciana.

 

Clique aqui para ler a Minuta de Lei apresentada pela Comissão.

Pesquise