Posse Hausa - 20 anos de Hip-Hop, 20 anos de luta e resistência negra!

hausaNeste mês da Consciência Negra, a Coluna Sindicato Cidadão apresenta uma antiga parceira do SINDSERV: a POSSE HAUSA, que acaba de completar 20 anos de fundação. Entre seus integrantes, Ketu Riahb, diretor do nosso Sindicato e Amin Oadq, mais conhecido como Honerê (Homem Negro que Resiste), um dos coordenadores da entidade.

Neste período, os integrantes da Posse Hausa vivenciaram e compartilharam das principais lutas para difusão da cultura negra, entre elas, as primeiras oficinas de Hip-Hop do País, no início dos anos 90, em São Bernardo e Diadema, edição do primeiro livro de Hip-Hop Brasileiro - ABC RAP, interlocução com movimentos sociais como Movimento Negro, Sindicatos, e MST, trabalhos na FEBEM (atual Fundação Casa) com oficinas, palestras em penitenciárias (em parceria com o coletivo Quilombo Xis da Bahia), centenas de eventos de rua, palestras e cursos de formação política, viabilizando milhares de apresentações artísticas, formando uma diversidade de pessoas da nossa geração durante sua existência! Entre eles os bailes black temáticos no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, os campeonatos de trinca no Colégio Walker, o curso Negro Consciência e Cidadania em parceria com o MNU e o resgate da História do Hip-Hop no ABC.

A Posse Hausa tem forte participação nas discussões políticas, no apoio às principais reivindicações da população negra, como a luta pelas cotas raciais, contra o genocídio da Juventude Negra, o feriado do 20 de novembro em vários municípios paulistas incluindo, São Bernardo do Campo, entre outros.

A preocupação com os jovens negros, principais vítimas de homicídios, segundo o Mapa da Violência no Brasil (2011), é motivo de várias ações dos Hausas. Foi assim que participaram ativamente da construção do maior encontro de Juventude Negra do país, o ENJUNE construído em 2 anos de articulação envolvendo milhares de jovens, em 22 estados da federação. Suas resoluções são instrumento de intervenção política e foram plataforma de intervenção de estado no que se refere a esse segmento populacional.

Atualmente, o projeto Hip-Hop é na Rua é o norteador das ações da Posse Hausa. Segundo Honerê, ele "foca na ideia de promover nas quebradas, em espaços comuns das comunidades, a difusão da cultura Hip-Hop, promovendo seus elementos e dando oportunidade dessa juventude se manifestar cultural e politicamente. Também temos na temática do Levante dos Malês, com palestras, exposições e seminários temáticos, uma grande contribuição para fomentar o resgate da cultura Afro-brasileira".

Ainda segundo Honerê, "fortalecemos nossa perspectiva de mantermos fortes em nossa meta de difundir a cultura hip-hop em seus 5 elementos, com responsabilidade racial, denunciando o racismo e suas manifestações discriminatórias e preconceituosas, atuando nas quebradas, palcos, estúdios, e onde nossa presença se fizer necessária, fazendo jus à nossa história, avisando aos desavisados que, com o pique que essa nova geração vem demonstrando, 'pode pá' que tem pelo menos mais 20 anos pela frente!"

Pesquise