Mudanças no IMASF: SINDSERV quer participação dos trabalhadores

O Executivo municipal encaminhou projeto de lei à Câmara com proposta de mudanças na estrutura organizativa do IMASF. A diretoria do SINDSERV acompanhou as Sessões realizadas nos dias 26 e 27 de agosto e questionou a ausência de debate prévio com a categoria. O argumento do governo para envio do projeto é "o clamor de servidores que realizaram uma série de reclamações e protestos contra a autarquia" e, portanto, consideram que os trabalhadores foram ouvidos, especialmente através de uma "comissão de usuários do IMASF".

Para o SINDSERV, qualquer mudança precisa de debate e de profundo esclarecimento entre os trabalhadores, não apenas a pequenos grupos. Foi com este objetivo, que nossa diretoria solicitou o adiamento da votação. Arlene de Paula, Diretora de Organização de Base do Sindicato, esclareceu o posicionamento da entidade: "Temos a responsabilidade de representar todos os trabalhadores, ativos e aposentados, de todas as secretarias e planos. Não podemos admitir que pequenos grupos definam posicionamentos que podem vir prejudicar a maioria da categoria". Arlene também ressaltou que um posicionamento mais concreto em relação ao projeto de lei depende de sua análise e discussão: "Não estamos dizendo que o projeto é bom ou ruim, até porque só tivemos conhecimento dele durante a Sessão do dia 26. O que estamos dizendo é que qualquer mudança deve passar pela discussão com os trabalhadores, de forma ampla".

Ação judicial contra o aumento

O SINDSERV ingressou com ação judicial pedindo a suspensão do aumento das contribuições ao IMASF. Nós sabemos que a autarquia está passando por uma grave crise e que há necessidade de um aporte financeiro, porém, este dinheiro não pode sair dos nossos bolsos.

O SINDSERV defende que a Administração dê uma demonstração de que pretende realizar mudanças que, de fato, beneficiem a categoria: se querem mudar para melhor, que retirem o aumento e garantam o atendimento em hospitais e clínicas que, historicamente, fizeram parte das vidas de nossas famílias.

Participação de todos!

Quanto ao novo formato de organização do Instituto, o SINDSERV defende a participação efetiva dos trabalhadores. Nós sempre tivemos compromisso com a inclusão, por isso, não admitimos que os beneficiários do PFGB sejam impedidos de participar do processo de escolha da direção do IMASF. Incluir estes trabalhadores também seria uma sinalização de busca por melhorias.

Pesquise