Chapa 1 vence eleição no SINDSERV com 51,5%

A nova direção do SINDSERV, para mandato entre dezembro de 2015 e dezembro de 2019, foi eleita nos dias 26 e 27. A apuração estendeu-se por toda a noite e madrugada deste sábado, terminando por volta das 8h da manhã.

A chapa 1 foi eleita com 1456 votos. Já a chapa derrotada, obteve 1371 votos.

Entenda como foi a apuração

Encerrada a votação, todas as urnas foram levadas para o SINDSERV. Feita a conferência da documentação, todas as urnas, devidamente lacradas, foram colocadas em sacos pretos, que também foram lacrados.

Todo o processo de apuração baseou-se na construção de um acordo entre as chapas. Em todos os momentos e para todos os atos, foi respeitada a paridade.

Do SINDSERV, as urnas foram levadas para o Espaço Celso Daniel, local da apuração, acompanhadas por representantes das duas chapas. Um acordo entre as chapas definiu que somente escrutinadores, comissão eleitoral, secretaria eleitoral e observadores, em número igual, poderiam ficar na sala da apuração. Membros das chapas e apoiadores aguardaram do lado de fora do espaço.

Foram estabelecidas seis mesas de escrutínio e a Comissão Eleitoral, também através de consenso, elegeu um presidente escrutinador.

Nas duas primeiras rodadas, ou seja, nas primeiras doze urnas, a CHAPA1 vencia com mais de 200 votos de diferença. Na terceira rodada, a chapa 2 passou à frente, com pequena vantagem. Com esta contagem, membros e apoiadores da CHAPA1 animaram-se e passaram a considerar a vitória iminente, visto que uma das urnas a ser apurada era a de número 1, com 508 votos. Esta é a urna fixa, que ficou na Sede do SINDSERV, e que membros das duas chapas sabiam, perfeitamente, que a vitória da CHAPA1 seria evidente.

Tumulto e "sumiço" de urna

Foi neste momento que a representante da CSP-Conlutas/PSTU, começou a circular entre os escrutinadores e representantes da chapa 2, "informando" que a urna 22 havia "sumido". Os trabalhos foram interrompidos e todos passaram a revistar o espaço.

É importante destacar que, pelo acordo prévio entre as chapas, observadores, como a representante da CSP-Conlutas/PSTU, e a representante da chapa 2, não poderiam circular pelo espaço. Infelizmente, ambas desrespeitaram o acordo e, a todo momento, circularam entre as mesas escrutinadoras.

Alguns fatos importantes neste momento:

- um dos fiscais da chapa 2 colocou uma cadeira na porta da sala, sentou-se nela e impediu que qualquer pessoa entrasse ou saísse;

- com a revista no espaço realizada, sugeriu-se que todas as pessoas abrissem suas bolsas. Neste mesmo momento, GCMs, acionados pela chapa 2, adentraram o espaço, quando os membros, fiscais e apoiadores da chapa 2 decidiram retirar-se do espaço antes da conclusão da contagem dos votos. e NEGARAM-SE A ABRIR AS BOLSAS, abandonando a apuração;

- Os membros da CHAPA1 jamais negaram-se a apresentar seus pertences e permaneceram no local da apuração. Votos contados, VITÓRIA DA CHAPA1.

Veja o resultado final da votação:

Pesquise