SINDSERV lança cartilha com orientações sobre acidente de trabalho e assédio moral

lancamento cartilha 14ABR2016 SITEO SINDSERV sempre pensando na qualidade de trabalho e no cuidado com os servidores lançou, na noite de 14 de abril, a cartilha "Sofri um acidente de trabalho. E AGORA?".

Para o nosso Sindicato, pensar em prevenção é pensar na formação dos trabalhadores para que se consiga evitar, o quanto mais, o adoecimento profissional. O material explica aos trabalhadores como preencher um CAT (Comunicado de Acidente de Trabalho), os objetivos da CIPA, as leis relacionadas ao assunto e também auxilia os leitores a entender um pouco mais sobre o adoecimento devido ao ambiente de trabalho.

A cartilha foi desenvolvida pelo Departamento de Saúde Ocupacional e Segurança do Trabalho do SINDSERV e contou com o incentivo do coordenador da subsede da CUT ABC, José Freire apoiando e orientando a atuação da CIPA. Ele ressaltou a satisfação em saber que o SINDSERV deu continuidade ao trabalho com a ajuda da Técnica em Segurança do Trabalho do nosso Sindicato, Priscila dos Santos. "A capa é bem sugestiva, nos remete a querer ler o que tem dentro da cartilha, um trabalho muito bem elaborado, fico muito feliz que vocês estão seguindo essa pauta, porque os trabalhadores públicos de São Bernardo, seja celetista, seja estatutário, vão precisar desse trabalho do Sindicato cada vez mais forte."

Há oito anos o SINDSERV conseguiu a garantia da liberação dos cipeiros eleitos para eles pudessem fazer o curso de formação no próprio Sindicato, algo que não acontecia antes. Deste modo é possível formar os cipeiros com o olhar do trabalhador público.

Também estavam presentes a Técnica do Trabalho do SINDSEP, Elionara Ribeiro, o diretor de Secretaria de Política de Saúde do Trabalhador do SINDSEP, Roberto Alves da Silva, a diretora do SINDEMA, Renilva Mota, a diretora do SINDSERV de Santo André, Magali Alves e a coordenadora do MSTL, Miriam Hermógenes.

Assédio moral

Além de orientações de como agir em casos de acidentes de trabalho, a palestra também trouxe diversas informações sobre o assédio moral, que não deve ser tratado apenas como uma questão de processo judicial.

lancamento cartilha1 14ABR2016 SITE

No momento em que o trabalhador consegue comprovar que está sendo assediado e o médico faz o diagnóstico que o problema depressivo é agravado ou então, o trabalhador não tinha depressão e por consequência do ambiente trabalho passou a ter a doença, quando se relata isso, o trabalhador tem total autonomia para o preenchimento do CAT (Comunicado de Acidente de Trabalho). "Depois que começamos a divulgar essa informação, nós tivemos quatro CATs preenchidos por causa de assédio moral", disse Priscila dos Santos.

O SINDSERV, em 2013, conquistou a Lei Contra o Assédio Moral e, desde então, conseguiu com que trabalhadores que haviam sido afastados por essa prática, tivessem todas as garantias previstas em lei.

Para Maria Lúcia, diretora da pasta, esta foi uma conquista enorme para a categoria já que no âmbito nacional não existe nenhum suporte para o trabalhador se proteger contra o assédio e aqui no município nós tivemos esta conquista. "Agora o desafio é o trabalhador nos procurar e fazer valer seus direitos! Além disso, também temos o intuito de esclarecer a todos para que o trabalhador saiba que determinada atitude é assédio, pois alguns não têm muita clareza que sua postura está sendo uma forma de assédio." 

Nosso Departamento de Saúde Ocupacional e Segurança no Trabalho está à disposição para consultas, dúvidas e esclarecimentos.

Clique aqui e veja o álbum de fotos do evento.

Pesquise