Dia 15, pare e lute contra a reforma da Previdência!

Não Vamos Morrer Trabalhando

O nosso Sindicato está empenhado na organização do Dia Nacional de Paralisações e Lutas contra a reforma da Previdência, em 15 de março. Os trabalhadores terão transporte gratuito para participar do ato, com saída às 14 horas, de nossa sede. Os interessados devem enviar dados pessoais – Nome, RG, telefone e local de trabalho – para o email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou através do telefone 4345-1444.

Porque dizemos NÃO a esta reforma:
Esse é um momento crucial de luta, onde a classe trabalhadora deve ir às ruas contra o fim da aposentadoria. A PEC 287 representa o fim da Previdência Pública no país, com graves consequências para os trabalhadores, que serão obrigados a trabalhar e contribuir por mais tempo e, ainda assim, receberão a aposentadoria com valores reduzidos.
• Para conseguir uma aposentadoria de 100% do salário de benefício, o trabalhador terá que contribuir com o INSS durante 49 anos e ter idade mínima de 65 anos. A regra vale para homens e mulheres;
• A aposentadoria especial dos(as) professores(as) também é alterada. Ninguém poderá aposentar com idade inferior a 55 anos e pelo menos 20 anos de contribuição;
• O tempo mínimo de contribuição para se conseguir o direito à aposentadoria passa de 15 para 25 anos para homens e mulheres;
• A proposta de Reforma da Previdência também muda a aposentadoria dos servidores públicos. A idade mínima também será de 65 anos para homens e mulheres e mínimo de 25 anos de contribuição. A alíquota de contribuição da categoria passa de 11% para 14%;
• Os dependentes de pensão por morte também ficam com direitos reduzidos, o cônjuge só receberá 50% do salário de benefício, e menores de 21 anos receberão 10%. As regras valem para trabalhadores do setor privado, servidores públicos e políticos;
• O trabalhador rural perde a garantia de segurado especial e passa a contribuir com a Previdência pagando alíquota estimada de 5%. As regras da idade mínima de 65 anos para homens e mulheres e mínimo de 25 anos de contribuição também vale para a categoria;
• A aposentadoria por invalidez só será concedida ao segurado que sofrer acidente de trabalho.

Trabalhadores da Educação
O setor da Educação foi um dos mais atingidos pela PEC 55/241, que congelou por 20 anos os repasses das áreas sociais e também está entre os alvos preferenciais da reforma da Previdência, que incide especialmente sobre a retirada de direitos das mulheres, quase 80% do magistério.
Para a mesma data foi aprovado, no 33° Congresso da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CTNE), realizado em janeiro, o indicativo de greve nacional da educação, que enfrenta, além da retirada de direitos trabalhistas, também as reformas anti-educacionais. A Lei da Mordaça, representada pelos projetos ideologicamente identificados com a política da Escola Sem Partido, também caminha na mesma direção.

Lute agora ou morra trabalhando!
O SINDSERV não aceita esta reforma e não está parado! Porém, todos sabemos que um momento como esse exige unidade entre os trabalhadores e a participação de todos na luta!
Você pode lutar agora, parando por um dia, ou pode ver sua aposentadoria ir pelo ralo! A luta deixa cicatrizes, inclusive nos vitoriosos! Uma dessas cicatrizes é a falta no trabalho. O Sindicato vai reivindicar, junto ao governo municipal, o abono dessa falta, porém, como todos sabemos, o partido do prefeito é favorável a esta reforma, o que dificulta esta demanda.
Por isso, organize-se com os demais trabalhadores do seus setor: tire falta abonada, doe sangue, enfim, considere que este esforço pode valer um direito pelo qual você se dedicou quando, por exemplo, prestou concurso público!

Serviço:
Dia Nacional de Paralisação Contra a Reforma da Previdência
15 de março – Av. Paulista – Em frente ao MASP
Ônibus gratuito com saída do SINDSERV, Rua Caetano Zanella, 90, às 14h.
Os interessados devem enviar dados pessoais – Nome, RG, telefone e local de trabalho – para o email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou através do telefone 4345-1444.

Pesquise