IMASF: mais uma traição!

Entrega do prédio onde deveria funcionar um hospital, por valores abaixo do que foi gasto na obra, contou com apoio de vereadores da base de sustentação e até dos conselheiros do IMASF eleitos pelos próprios trabalhadores.

imasfNo dia 28 de junho, durante a última Sessão da Câmara antes de um recesso de 30 dias (sim, os vereadores têm duas férias por ano!), o governo municipal encaminhou um projeto que garantiu a aquisição do prédio onde deveria estar funcionando o hospital do IMASF. Os vereadores da base de sustentação votaram a favor, inclusive com o apoio do presidente da Câmara, Pery Cartola, que teve muitos votos de servidores ao colocar-se, na gestão passada, como "defensor do IMASF".

A matéria, encaminhada pela Administração durante a Sessão, sem qualquer comunicação ao Sindicato e ao conjunto da categoria, TEVE O APOIO ABSURDO DOS CONSELHEIROS DO IMASF ELEITOS PELOS TRABALHADORES! Ou seja, os representantes da categoria no Conselho viraram as costas àqueles que os elegeram e fecharam questão nessa ação vergonhosa e danosa aos interesses dos usuários do IMASF!

O mínimo que se poderia esperar era que estes conselheiros tivessem chamado uma audiência pública para discutir tal situação com a categoria. Preferiram aderir a uma medida autoritária e esquecer de todos os compromissos que assumiram com seus eleitores durante a campanha!

Negociação obscura

Ficou aprovada a "entrega" do prédio ao Executivo Municipal por R$ 20 milhões. Ocorre que, em momento algum, o projeto estabelece quais serão as condições para o pagamento, nem se os trabalhadores públicos e seus familiares terão direito a utilizar o suposto futuro hospital.

Prejuízo para o seu bolso!

Para se ter a dimensão do "grande negócio" fechado entre prefeito, vereadores da base governista e conselheiros do IMASF, o custo da obra do tal hospital girou em torno de R$ 45 milhões. Sabe de onde saiu esse dinheiro? Dos bolsos dos trabalhadores e de suas famílias!

O resultado prático dessa aventura foi a queda na qualidade do atendimento, com descredenciamento de hospitais, clínicas e profissionais que nos atendiam há anos. Agora, além de sermos vítimas do mau atendimento, vemos nosso patrimônio ser, mais uma vez, dilapidado.

SINDSERV continua na luta!

O nosso Sindicato não aceita essa decisão e vai continuar lutando para que tenhamos um convênio médico decente e para que o IMASF seja, de fato, um espaço onde seus verdadeiros donos sejam respeitados.

É por isso que não abrimos mão da devolução dos valores cobrados ilegalmente, como os 13% de aumento impostos em 2015, que foram objeto de ação judicial VITORIOSA proposta por nosso Departamento Jurídico, já em fase de execução da sentença. Lamentavelmente, também neste caso, os conselheiros eleitos pelos trabalhadores traem a categoria e aprovam o calote.

Pesquise