Prefeito manda conta do rombo financeiro do Imasf para cima dos servidores

A pedido do superintendente da autarquia, prefeito enviou à Câmara, e vereadores aprovaram, Lei que penaliza, ainda mais, os trabalhadores

José RubemA história se repete: eles criam as crises, sucateiam os serviços e quem paga a conta são os servidores. A solução encontrada pelo superintendente, com aval do prefeito e apoio da bancada de sustentação na Câmara para dificuldades financeiras vividas pelo Imasf, mais uma vez, tem como alvo os bolsos dos trabalhadores.

Está definido que os beneficiários do PFGB (Greenline) terão que desembolsar mais R$ 5,00 mensais por dependente. Já os usuários dos Planos Especial e Intermediário (Imasf) deverão aguardar a reunião do Conselho da Autarquia, que definirá qual será a nova taxa de "coparticipação".

O presidente do SINDSERV, reagiu à decisão durante a Sessão de hoje na Câmara Municipal e falou aos trabalhadores no carro de som colocado no Paço: "O que está acontecendo aqui é uma verdadeira vergonha! Esses descontos vão representar um acúmulo de perdas salariais ainda maior para a categoria, e nós não vamos aceitar. Já que os vereadores da base de apoio ao prefeito, mais uma vez, tiveram a desfaçatez de aprovar uma Lei que prejudica os servidores sem sequer lê-la, não nos resta outra alternativa: vamos ingressar com ação judicial para impedir este absurdo".

 

Foto: José Rubem se manifesta contrariamente à decisão dos vereadores na Câmara

Crédito: Priscila Cardoso

Pesquise