SINDSERV participa de ato contra o aumento das tarifas

atoNa tarde desta quarta-feira, 16, dirigentes do nosso Sindicato uniram-se a manifestantes que protestaram contra o aumento abusivo das tarifas de ônibus em São Bernardo. Depois de concentração na Praça da Matriz, o ato seguiu pelas ruas centrais da cidade, até a Lucas Nogueira Garcez.

O aumento de 7,55%, garantido através de decreto do prefeito Orlando Morando (PSDB), fez com que as conduções subissem de R$ 4,40 para R$ 4,75, impactando diretamente nas vidas da população da cidade. Na justificativa, o prefeito argumenta que houve aumento no preço do diesel e que a prefeitura teria investido na frota, mencionando a entrega de veículos com Wi-Fi e ar condicionado. Ele também cita o novo corredor de ônibus entre os investimentos.

Para o presidente do SINDSERV, José Rubem, este aumento é inadmissível: "Eu fico impressionado com a velocidade com que o prefeito atende as demandas de empresários, em especial os do transporte, ainda que isso signifique condições difíceis para milhares de famílias. Quem me dera que ele usasse a metade dessa velocidade para ouvir as reivindicações dos servidores". José Rubem lembrou, ainda, que este aumento é ainda mais impactante nas vidas dos trabalhadores públicos da cidade: "A população precisa saber que o nosso auxílio transporte é de míseros R$ 88,00 mensais e que estamos acumulando perdas salariais desde que este governo assumiu. Os servidores vão ter dificuldades de ir ao trabalho e isso vai prejudicar os munícipes".

A diretora de comunicação do Sindicato, Luciana Rocha, contesta os argumentos do prefeito: "Um reajuste acima da inflação merecia justificativas melhores. Do jeito que o prefeito fala, parece que todos os ônibus têm rede de internet e sistema de refrigeração, que a gente vai sentado, em segurança e sem trânsito. Quem anda nessas verdadeiras latas de sardinha todos os dias sabe que ele não fala a verdade".

josé rubemJá o diretor jurídico da entidade, Célio Vieira, lembra que o corredor de ônibus está bastante longe da eficiência alardeada por Morando: "O que vimos foi o aumento do congestionamento, inclusive para os ônibus intermunicipais, que não têm portas dos dois lados e são obrigados a andar na faixa da direita. Uma verdadeira lambança". Célio também lembra a implantação de radares com claro intento de arrecadação: "Além de piorar o trânsito, o prefeito que falava em 'indústria da multa' durante a campanha, implanta radares em pontos que deixam nítida a intenção de 'caça níqueis' por parte da Administração".

O SINDSERV continuará participando e apoiando as manifestações que exigem a revogação do decreto e exigindo o aumento do auxílio transporte pago aos servidores.

Pesquise