Trabalhadores protestam no IMASF

protesto imasfOs trabalhadores públicos de São Bernardo protestaram, na tarde de ontem (24), contra o aumento dos planos de saúde do Instituto Municipal de Assistência à Saúde do Funcionalismo (Imasf), aplicados pelo governo do prefeito Orlado Morando (PSDB).

Organizada pelo SINDSERV, a manifestação foi o primeiro recado à Administração de que os servidores não aceitarão o reajuste de 20% nos planos Especial e Intermediário e a nova taxa de coparticipação de 30% dos valores cobrados em consultas, exames e internações, entre outras mudanças, enquanto os trabalhadores acumulam perdas de 7,24% só na atual gestão.

Como saída para a crise financeira do instituto, autarquia que administra o plano de saúde dos servidores e seus dependentes, o prefeito Orlando Morando autorizou reajustes de 20% dos planos Especial e Intermediário e a cobrança de uma nova taxa de coparticipação de 30% dos valores de todas as consultas, exames e internações. Os usuários do PFGB/Greenline terão que pagar mais R$ 5 por mês por dependente.

José Rubem, presidente do Sindicato, ressaltou que nos últimos dois anos os servidores só acumulam perdas. O dirigente lembrou que a situação de quem precisa do plano de saúde é uma vergonha e que os servidores não vão, mais uma vez, arcar os custos da irresponsabilidade e da má gestão do Imasf.

"Não podemos mais aceitar tanto abuso e descaso com os trabalhadores e trabalhadoras públicos da nossa cidade. Houve caso de reajuste do plano de saúde que chegou a 120%. Esse é o tratamento que o Orlando Morando dá aos servidores", disse Rubem.

 

Foto e informações: ABCD Maior

Pesquise