Servidores municipais do país param na Greve Geral em defesa da Previdência

Sindicato e servidores realizaram ato como parte da Greve Geral Nacional em São Bernardo do Campo

A concentração, que aconteceu as 05h00 na sede do SINDSERV, para a mobilização engajou servidores municipais, representantes dos sindicatos, das centrais sindicais e munícipes. A concentração do ato ocorreu na Praça Santa Filomena, onde tivemos o MTST na composição da manifestação, e seguimos em caminhada até o Paço Municipal.

Além das lutas nacionais em defesa pela aposentadoria, por mais empregos e contra os cortes na educação, as pautas municipais deram especial atenção às trabalhadoras e aos trabalhadores que compareceram ao ato que defendeu também a readequação da jornada dos auxiliares em educação e se posicionou contra o projeto "mães especiais", que foi aprovado no último dia 08 de maio.

Servidores públicos municipais de todo país também pararam as unidades de trabalho e engrossaram as manifestações da classe trabalhadora convocadas pela CUT e centrais sindicais em defesa da Previdência e empregos. Por todo o ABC paulista, 98% das fábricas do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC estão fechadas, 65 mil trabalhadores cruzaram os braços contra o fim da aposentadoria e por mais empregos.

Garanta seu direito, justifique sua falta!

Para garantir que possamos garantir o direito de greve, é muito importante que cada passo seja realizado:

1- ASSINE a lista de presença até às 18h00 da terça-feira (18), no sindicato.

2- Na FOLHA DE PRESENÇA de sua unidade escolar, anote no dia 14 "GREVE GERAL NACIONAL ".

3- Vá até o RH da Educação (Administração de Pessoal) e JUSTIFIQUE sua ausência em virtude da participação na GREVE.

Todas as medidas legais foram tomadas pelo SINDSERV para garantir o direito de greve, como a realização de Assembleia que decidiu pela adesão ao movimento e a comunicação desta decisão à Administração. Estas medidas, em uma Administração democrática, já seriam suficientes para evitar que seja imputada falta injustificada, porém, caso o autoritarismo fale mais alto, nosso Departamento Jurídico já está orientado a ingressar com ação judicial para garantir seu direito.

Pesquise