Em plena pandemia, administração amplia contrato de publicidade e comunicação

Nem a pandemia do coronavírus que assola o país fez o governo de São Bernardo diminuir sua preocupação em se promover. Em plena crise de Saúde que acomete o município e todos os moradores da cidade, a administração renovou dois contratos de publicidade que possui para promover suas ações. Em aditamento publicado no portal da transparência da prefeitura, ambos documentos somam até R$ 32,8 milhões em gastos com serviços de comunicação e marketing. Os contratos são renovações de documentos firmados em setembro de 2019. Na ocasião o município já havia aumentado os gastos com propaganda e comunicação em 37,8%.

O fato gera desconforto e vira motivo de revolta entre os servidores públicos, já que o funcionalismo tem grande defasagem salarial ao longo da gestão do atual prefeito – que costumeiramente se recusa a abrir negociação sobre o dissídio da categoria e, na contramão, anuncia reajuste a servidores comissionados da Fundação ABC.

Ao mesmo tempo, os funcionários públicos entendem que, com a excepcionalidade da quarentena e a crise que foi criada com a paralisação de postos de trabalho, os milhões gastos com publicidade poderiam ser empregados na valorização de quem está garantindo os serviços básicos da cidade.

Hospital particular – outro fato que tem gerado discussão entre o funcionalismo é o fato de o prefeito assumidamente ter contraído o COVID-19, mas ter se tratado em um hospital de alto padrão em São Caetano do Sul. Os próprios servidores que atuam na Saúde questionam o porquê de o chefe do Executivo ter se tratado em hospital particular em cidade vizinha em detrimento dos equipamentos públicos da cidade, considerados de primeira linha pelo prefeito.

Pesquise