Reforma administrativa: o que é real, o que é boato e o que fazer

No início do mês, uma onda de boatos, referente a um projeto de reforma administrativa que retiraria direitos dos trabalhadores públicos de São Bernardo, se espalhou por todos os setores. Procurado pelo SINDSERV, o secretário de administração afirmou que tal projeto não seria enviado à Câmara nesse momento e que todo e qualquer projeto de interesse dos servidores será discutido com o Sindicato.

O presidente do SINDSERV, Giovani Chagas, deixou clara a disposição de luta da entidade: "Não aceitaremos nenhuma reforma administrativa que retire direitos históricos dos trabalhadores, como por exemplo, a senhoridade, licença prêmio, PTS ou falta abonada".

Há rumores no Paço de que os cargos de encarregadoria e chefia seriam transformados em gerência, possibilitando a nomeação de comissionados externos. Hoje, um dos requisitos para ser nomeado nestes cargos é ser servidor de carreira e ter pelo menos dois anos de efetivo exercício. "Esta é uma garantia constitucional para a continuidade das políticas públicas, principalmente quando há mudanças de governo. Está prevista no artigo 37, inciso V da Constituição Federal", esclarece Chagas. "Acredito que a categoria não aceitará isso" conclui.

Vamos manter a vigilância!

Como diz o ditado, "onde há fumaça, há fogo"! Por isso, conclamamos a todos os trabalhadores para que fiquem atentos e preparados para a luta.

Pesquise