Todo apoio à greve dos professores!

SINDSERV solidariza-se com a APEOESP

Desde o dia 13 de março, a categoria dos professores do Estado de São Paulo está em greve. Em assembleia realizada no último dia 20, a APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), contabilizou que 130 mil professores, o que significa 59% da categoria, aderiram à greve. Dia 27 de março, haverá mais uma assembleia.

Mesmo realizando uma assembleia com mais de 50 mil trabalhadores, que ocuparam a Av. Paulista e seguiram em marcha até a Praça da República, onde fica a sede da Secretaria Estadual de Educação, os "grandes" veículos de comunicação, como a Rede Globo, não citaram a greve, numa clara demonstração de blindagem ao governo estadual.

O SINDSERV declara apoio à greve, solidariza-se à nossa entidade parceira, a também cutista APEOESP, e repudia a manipulação da imprensa.

Confira abaixo as principais reivindicações dos professores:

- Aumento de 75,33% para equiparação salarial com as demais categorias com formação de nível superior, rumo ao piso do DIEESE para PEB I com jornada de 20 horas semanais de trabalho.

- Pela implantação da jornada do piso.

-Nova forma de contratação dos professores temporários, com garantia de direitos, sem "quarentena" ou "duzentena".

- Fim do fechamento de classes; imediato desmembramento das salas superlotadas.

- Máximo 25 alunos por sala desde o primeiro ciclo do Ensino Fundamental ao Ensino Médio.

- Garantia de PCPs nas escolas de acordo com a Resolução 75/2013. No mínimo um PCP em cada escola, independente do número de salas.

- Pelo fim da lei das faltas médicas; fim da perseguição aos professores nas perícias médicas.

- Pela aceleração dos processos de aposentadoria.

- Por água nas escolas.

- Pela transformação do bônus em reajuste salarial.

- Fim do projeto excludente de escola de tempo integral; por uma educação integrada.

- Fim do assédio moral.

Com informações da APEOESP.

Pesquise