SINDSERV realiza Seminário Educação e Diversidade/Desconstruindo Preconceitos

Na noite de 11 de setembro, diversos profissionais da Educação participaram do Seminário Educação e Diversidade/Desconstruindo Preconceitos, promovido pelo SINDSERV, em sua sede.

Os palestrantes abordaram temas reflexivos como Mulheres na Educação, Questão Racial, Deficiência e LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros), contribuindo para subsidiar os debates das Pré Conferências sobre o PME - Plano Municipal de Educação, que acontece ainda neste mês.

Alba Valéria, integrante do Comitê Sindical da Educação do SINDSERV e representante no PME, acrescenta que é de fundamental importância desconstruirmos os preconceitos que rodeiam essas questões. "Por isso acreditamos que é com o diálogo, informação e respeito que conseguiremos avançar".

"Precisamos quebrar barreiras de locomoção, institucionais, humanas, atitudinais, pois as pessoas com deficiências têm capacidade, mas precisam de melhores recursos e claro, profissionais preparados em reconhecer o aluno como uma pessoa com desejos, vontades e interesses. É um trabalho em equipe, ninguém vai mudar nada sozinho, temos que brigar juntos pelas mesmas coisas", explica Lisbeth Soares, mestre em Educação Especial pela UFSCar e Professora de Educação Especial da Rede de São Bernardo do Campo.

A Professora Mislene Inocêncio Pereira, da Rede de Diadema, formada em Sociologia e Pedagogia e Diretora do SINDEMA, falou sobre mulheres na educação e citou nomes de mulheres negras que são referência em lutas unificadas, relações de gênero na escola e Planos Municipais de Educação. "A vida pulsa, estamos falando do assunto e ele está ocorrendo o tempo inteiro em uma situação de extrema violência, então, temos que falar das coisas para podermos lidar com elas, essa é a nossa função enquanto gente no mundo", disse Mislene.

Em seguida, a Professora Estadual e Municipal de São Paulo, formada em Ciências Sociais, diretora da APEOESP, presidente da Federação Estadual Permanente de Educação, Anatalina Lourenço da Silva, abordou questões do PNE – Plano Nacional de Educação e racial. "A luta contra o racismo, homofobia e machismo, é cotidiana e tem que ser unificada, porque vivemos hoje em uma onda conservadora assustadora, mas isso não nos enfraquece, pelo contrário, estimula muito mais. A arma mais poderosa do opressor é a mente do oprimido, precisamos, nesse processo, inclusive, às vezes ponderar com os companheiros que praticam essas ações sem nem mesmo perceber. A vida é um constante saber", conta Anatalina.

O Professor de EJA - Educação de Jovens e Adultos de São Bernardo do Campo, formado em história e militante do movimento LGBT, Charlie Drews Tomas dos Santos, falou sobre Educação e LGBT. Ele afirma que o tema é muito espinhoso, não só na área da educação, mas em toda a sociedade, por ser um movimento muito novo. "As escolas devem estar preparadas para acolher esses alunos, a aceitação é fundamental. Temos uma longa batalha pela frente para lutarmos pelo Plano Municipal de Educação inclusivo dentro de SBC, que respeite o gênero, a diversidade e que lute contra os preconceitos", comenta Charlie.

Ao final, foi aberto o debate, onde os trabalhadores contaram suas experiências nas unidades escolares. "O SINDSERV organizou este Seminário para debater com os/as trabalhadores/as da Educação e público em Geral, com o objetivo de informar, esclarecer, contribuir com as futuras discussões do PME. Desconstruir preconceitos para uma sociedade justa e igualitária para todos e todas", encerra a Diretora de Saúde e Segurança do Trabalhador, Maria Lúcia dos Santos Marcelino.

Pesquise