Comissão faz balanço positivo da luta pelas 30 Horas para auxiliares em educação

30 horasReunida no dia 22 de maio, a comissão integrada por auxiliares em educação e dirigentes do SINDSERV pela readequação da jornada de trabalho para 30 horas semanais avaliou de forma positiva as últimas ações.

Além de avaliar as últimas ações, o grupo também discutiu a organização das próximas etapas da luta e encaminhou a necessidade de realização de nova Assembleia que, entre outros pontos, deve decidir pela recomposição da comissão, visto que alguns de seus membros ingressaram como professores na rede (chamados pelo último concurso público). Também foi proposto que no dia da Assembleia (data a definir) será lançado um abaixo-assinado de apoio ao Projeto de Lei apresentado pela comissão aos Poderes Executivo e Legislativo, com ampla divulgação entre os demais trabalhadores públicos e toda a comunidade escolar (famílias, trabalhadores, estudantes e população em geral). Para ajudar na divulgação e na mobilização, foram sugeridas a construção de um vídeo didático mostrando a vivência profissional dos auxiliares em educação, em especial suas principais dificuldades que justificariam a adequação da jornada e a promoção da camiseta das 30 Horas.

RELEMBRE COMO FORAM AS ÚLTIMAS AÇÕES

  • 8 DE MAIO – DIA DO BASTA – os auxiliares em educação compareceram em peso à Câmara Municipal e uniram-se a outros trabalhadores públicos que reivindicavam o atendimento das reivindicações da categoria. Na ocasião, a auxiliar em educação Thaís, da EMEB Afonso Monteiro da Cruz, apresentou aos vereadores, na Tribuna, as demandas dos auxiliares. Após sua fala, a Sessão foi suspensa e uma comissão de auxiliares foi recebida em reunião privada pelos vereadores. Também neste dia, a minuta do Projeto de Lei das 30 Horas foi protocolizada em todos os gabinetes dos vereadores.
  • 14 DE MAIO – REUNIÃO NA SE – com a repercussão do ato do dia 8 e da entrega do Projeto de Lei, a Secretaria de Educação convocou a comissão para uma reunião. O governo foi representado pela secretária de Educação, pelo chefe do RH, pela diretora da SE1 e pelo advogado da secretaria. A secretária alegou desconhecimento do movimento pelas 30 Horas e a comissão fez um relato de todos os passos, desde 2014, até o ato de entrega do Projeto de Lei na Câmara, apontando a riqueza de toda esta trajetória, que contou com forte atuação dos trabalhadores na construção de relatórios, pesquisas, estudos técnicos, consultas jurídicas, até chegar à minuta de lei. Decidiu-se pelo encaminhamento de toda a documentação desta trajetória, inclusive das ações promovidas na atual gestão, a partir de 2017, para o RH da SE.
  • 15 DE MAIO – DIA NACIONAL DE LUTA PELA EDUCAÇÃO – mais uma vez, auxiliares em educação compareceram em peso e tiveram nova oportunidade de falar aos vereadores na Tribuna da Câmara. Desta vez, Graciane e Jeferson representaram os trabalhadores. Novamente, uma comissão de vereadores se reuniu com os auxiliares e, demonstrando interesse em encaminhar a reivindicação, foi solicitada cópia das leis que garantiram as 30 horas em Santo André e São Caetano do Sul.
  • 17 DE MAIO – ENTREGA DOS DOCUMENTOS – conforme solicitado na reunião com a SE, no dia 14, os documentos que retratam a trajetória de luta pelas 30 Horas foram protocolizados na própria secretaria, na presidência da Câmara e na Secretaria de Administração.
  • 21 DE MAIO – LEIS PROTOCOLIZADAS – atendendo à solicitação dos vereadores, entregamos cópias das Leis das 30 Horas das cidades de Santo André e São Caetano do Sul à Câmara Municipal.

Pesquise