IMASF

Aumento do repasse do plano de saúde não será descontado dos trabalhadores

protestoA Câmara dos Vereadores aprovou, na Sessão de 5 de novembro, um aumento de 23,7% no repasse ao IMASF para pagamento do PFGB – Plano Familiar Geral Básico, que funciona através de convênio com a empresa Green Line.

Ao contrário do noticiado por um jornal regional, não haverá ônus financeiro aos trabalhadores. O repasse sairá dos cofres da prefeitura, e não dos bolsos dos servidores.

Reivindicação de nossa Campanha Salarial

Na Campanha Salarial 2013, reivindicamos a mudança do convênio e oferecemos como alternativa o aumento do repasse por parte do governo. Tomamos esta atitude, aprovada em Assembleia, porque nas discussões com o IMASF e com a própria Green Line havia o argumento que o valor repassado era muito inferior ao praticado no mercado. Constatamos que o repasse era muito baixo, inclusive, quando consultamos outras empresas de saúde, que afirmaram não ter interesse em atender a PMSBC em virtude dos valores pagos.

"Nossa expectativa é que, com este aumento no repasse, a empresa cumpra com o que havia se comprometido conosco e melhore, de fato, o atendimento aos trabalhadores e às suas famílias", afirmou a Secretária Geral do SINDSERV, Cássia Tochetto.

Luta antiga

Desde o dia em que a mudança do convênio médico para a empresa Green Line foi anunciada pelo IMASF, nosso Sindicato mobilizou todos os esforços para que os trabalhadores não sofressem as consequências de um atendimento de baixa qualidade. O SINDSERV fez, e faz, tudo o que lhe é possível para acabar com esta triste situação. São ações políticas, administrativas e jurídicas. Já realizamos dezenas de reuniões, protestos em frente ao IMASF, no Paço e na sede da empresa, denunciamos o péssimo atendimento ao Ministério Público, à ANS e ao Procon, coletamos assinaturas em um abaixo-assinado que pedia mudanças no plano, nossos diretores foram, várias vezes às unidades constatar as denúncias dos trabalhadores e até a polícia chegamos a chamar.

Não vamos desistir de lutar por atendimento médico de qualidade, para nós e nossas famílias. Esperamos que, com o aumento do repasse, haja uma significativa mudança na relação da empresa com os trabalhadores públicos de São Bernardo.

IMASF prorroga contrato com a Greenline

O SINDSERV recebeu um comunicado do IMASF (Instituto Municipal de Assistência à Saúde do Funcionalismo), onde o Instituto informa que prorrogou, por mais um ano, a partir de 1º de outubro, o contrato com a Greenline.

São 22 mil vidas, entre servidores e familiares inscritas no plano PFGB - Plano Familiar Geral Básico atendidas pela Greenline.

Segundo o presidente de nosso Sindicato, Giovani Chagas, o mais importante, além de prorrogar o contrato, é também garantir o atendimento em são Bernardo do Campo, para consultas, exames, cirurgias e internações dos nossos trabalhadores ativos e aposentados.

Participe da palestra sobre Envelhecimento Saudável no IMASF

Na próxima quinta-feira, 29 de maio, às 16h, acontecerá uma palestra com tema Envelhecimento Saudável, no Anfiteatro do IMASF.

O palestrante será o fisioterapeuta Vinicius Grana Tonon. Todos os participantes receberão certificados.

Serviço
Data: 29/05/2014
Horário: 16h
Local: Anfiteatro IMASF
Endereço: Rua Princesa Izabel, 77, Nova Petrópolis - SBC

Auxiliares de Limpeza lotam Sindicato em reunião

Dezenas de Auxiliares de Limpeza atenderam à convocação do SINDSERV e compareceram à reunião realizada no dia 26 de fevereiro. Durante mais de duas horas, foram discutidos temas como o fim da GLE na Educação, situações de assédio moral, terceirizações e plano de saúde.

Nosso presidente, Giovani Chagas, elogiou a disposição de luta dos trabalhadores e respondeu a todas as perguntas. "Queremos, cada vez mais, ter vocês conosco aqui, na luta por melhores condições de trabalho e salário. É muito bom ver nossa casa cheia e com este espírito de união", afirmou Chagas.

Veja os principais pontos debatidos:

- Estatuto dos Profissionais da Educação:

O presidente do nosso Sindicato fez um resumo do processo de discussão e aprovação do novo estatuto. Relembrou aos presentes que o SINDSERV sempre defendeu a inclusão de todos os profissionais da Educação na nova lei, uma vez que, na opinião da entidade, todos fazem parte do processo pedagógico, conforme preconizado pelo pedagogo Paulo Freire. Infelizmente, a Administração não aceitou atender a esta reivindicação e, mesmo com a proposta da SE rejeitada em Assembleia, encaminhou o projeto para a Câmara, que o aprovou.

- Fim da GLE (Gratificação por Local de Exercício):

Para o SINDSERV, o fim da GLE, da forma como se deu, é um erro e prejudica os trabalhadores, que assumiram dívidas contando com este recurso e, infelizmente, não tiveram como se programar. Prejudica, também, os alunos de escolas distantes, uma vez que o fim do incentivo pode gerar uma falta, ainda maior, de profissionais nestas regiões. Esta decisão também foi tomada com a aprovação do novo Estatuto dos Profissionais da Educação.

- Assédio moral:

Vários trabalhadores relataram situações que podem configurar assédio moral no local de trabalho. Giovani Chagas relembrou a importante conquista do nosso Sindicato no Acordo Coletivo de 2013, quando foi criada a Lei Contra a Prática de Assédio Moral na PMSBC, e orientou a todos a apresentarem as denúncias ao SINDSERV, que colocará sua Diretoria e o Departamento Jurídico a serviço dos trabalhadores vítimas deste tipo de prática. Ofensa, humilhação, apelidos pejorativos e remoções sem aviso prévio podem configurar crime de assédio moral.

- Vigilante de terceirizada "vigiando" servidores públicos:

Segundo denúncia, em alguns locais de trabalho há vigilantes de empresas de terceirização vigiando os horários dos trabalhadores públicos e apresentando relatórios às chefias. Isto é um verdadeiro absurdo! Estes vigilantes são contratados para proteger o patrimônio e não têm o direito de interferir no dia a dia dos trabalhadores. Todos os casos deste tipo devem ser denunciados ao SINDSERV.

- Desvio de função:

Outro tema que teve a manifestação de vários auxiliares. Segundo disseram, tem Auxiliar de Limpeza fazendo serviço de copeiro, porteiro, telefonista... Em um dos casos, uma chefe mandou a auxiliar fazer café, pois estava faltando copeira no setor. A resposta da trabalhadora foi: "Bom, também está faltando motorista. Pode me dar um carro que eu vou cumpir esta função". A orientação do SINDSERV para esta situação é a seguinte: quando a chefia determinar uma tarefa que não esteja descrita nas funções para as quais o trabalhador foi contratado, este deve pedir que seja feito por escrito e, depois, deve encaminhar este pedido para formalização da denúncia no Sindicato.

- Aumento salarial:

O aumento previsto para este ano é de cerca de 6%, dependendo, ainda, do fechamento do índice INPC/IBGE, com o cálculo da inflação entre março de 2013 e fevereiro de 2014.

- Plano de saúde:

Muitas reclamações e denúncias foram feitas contra a Green Line, especialmente quanto a falta de especialistas e de atendimento em São Bernardo. O presidente Chagas lembrou a todos que o nosso Sindicato denunciou a empresa no Ministério Público, na Agência Nacional de Saúde e no Procon, o que contribuiu para que a Green Line ficasse proibida de vender novos planos. Lembrou, também, que foram realizados protestos em frente a sede da empresa, na Rua Baffin, em frente ao IMASF e no Paço Municipal. Além disso, foram realizadas várias reuniões com representantes da empresa, do IMASF e da Administração. Nelas, o SINDSERV sempre aponta as denúncias feitas pelos trabalhadores e reivindica que o repasse da PMSBC para o plano de saúde seja maior. "Quando temos aumento de salário, automatimente nosso repasse para o plano de saúde aumenta. Porém, a Administração não aumentou, durante muito tempo, sua parte nos repasses. Isto impede, inclusive, que outras empresas se interessem em disputar a licitação para assumir o plano", explicou Chagas. Neste caso, a orientação do Sindicato é para que todos relatem as situações de mau atendimento e para que participem dos próximos protestos.

- Terceirizações:

Este foi apontado como o principal problema do setor e do serviço público em geral. Nosso Sindicato está na luta direta contra as terceirizações, seja administrativamente, levando esta questão em todas as reuniões da Mesa Permanente de Negociações e nas Campanhas Salariais, seja juridicamente, como no processo que está sendo movido pelo nosso Departamento Jurídico contra a terceirização sem limites na saúde, seja politicamente, participando dos fóruns, reuniões e manifestações promovidos pela CUT, seja em nossa cidade ou em Brasília. Estivemos presentes no Congresso Nacional para barrar a votação do PL 4330, que escancará de vez as terceirizações em todo o Brasil se for aprovado. A terceirização prejudica o serviço público de qualidade, a população e os cofres públicos, e a luta contra esta prática é uma das principais bandeiras do SINDSERV.

- Minha Casa, Minha Vida:

Giovani Chagas apresentou a conquista dos 100 apartamentos para os Servidores Públicos sindicalizados como uma grande vitória do nosso Sindicato, especialmente para os trabalhadores com menor poder aquisitivo, e convidou a todos e todas a participarem da reunião com técnicos da Caixa e representantes da entidade responsável pela construção dos apartamentos, que aconteceu no dia 27 de fevereiro.

 

Leia também:

Minha Casa, Minha Vida: teatro ficou pequeno em reunião sobre o programa habitacional

Diretor da Caixa aponta possibilidade de novos empreendimentos em parceria com o SINDSERV

Minha Casa, Minha Vida: CFPFB e Caixa farão plantão em nossa sede

Minha Casa, Minha Vida: veja a lista de documentos necessários

Bernardo Campanha - Convênio Médico: falta recurso ou vontade?

Agora em setembro, mais uma vez, vence o contrato do Convênio Médico Green Line. Isso já foi ponto de pauta na campanha salarial dos últimos três anos! Há mais de dois meses a direção do nosso Sindicato participou de reunião com a Administração, IMASF e Green Line e apontou as demandas sobre o convênio, inclusive o vencimento do contrato. Cobrou da Administração a necessidade de atualizar o valor do repasse para o convênio para que se amplie o atendimento em São Bernardo do Campo, encaminhamos ofício à Administração, pautamos em reunião, e ainda não tivemos uma resposta definitiva.

Bom, de qualquer forma, temos que reconhecer que graças às ações desencadeadas pelo SINDSERV e pelo IMASF, as reclamações em alguns quesitos diminuíram, porém, o fato de muitos procedimentos não serem

realizados em SBC, ainda persiste.

Pesquise