Em defesa dos servidores e do serviço público de qualidade

Fique atento: servidor que atuou na linha de frente da pandemia e foi contaminado pode dar entrada na CAT

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Os servidores públicos municipais de São Bernardo que atuaram na linha de frente da pandemia e foram contaminados com a COVID-19 durante o cumprimento de sua função tem o direito dar entrada à Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT). O sindicato tem recebido diversas reclamações dos servidores a respeito do Serviço de Saúde do Servidor e o Serviço de Inspeção Médica, que não realizaram o preenchimento do CAT, documento que reconhece o acidente de trabalho e as doenças ocupacionais.

Quem se sentir prejudicado pelo não preenchimento do documento e o não reconhecimento do mesmo pelo Serviço de Inspeção Médica (SIM) deve procurar o Departamento de Segurança do Trabalho do Sindserv SBC para uma avaliação individual da documentação do servidor em questão e, se assim entendido, o preenchimento do CAT.

Nos casos em que as intervenções administrativa ou extrajudiciais adotadas pelo Departamento de Segurança do Trabalho do sindicato não tenham respostas da prefeitura, o trabalhador é encaminhado para o departamento jurídico do sindicato, para que medidas sejam tomadas na esfera judicial ou por meio do Ministério Público do Trabalho.

O não reconhecimento do acidente de trabalho pode trazer dificuldades futuras a cada trabalhador(a), levando em consideração que a COVID-19 é uma doença que pode apresentar futuras sequelas – neste caso, garante o recebimento integral de seus vencimentos sem perda nas férias e demais prejuízos. Caso aconteça o falecimento do servidor, com a confirmação da doença adquirida em ambiente de trabalho há a garantia de direito a pensão integral à família.

Em 2020 o STF (Superior Tribunal Federal) reconheceu que a contaminação de coronavírus pelos trabalhadores brasileiros se configura como doença ocupacional e podendo ser caracterizada como acidente de trabalho. O Ministério Público do Trabalho também emitiu nota técnica que caracteriza a COVID-19 como doença ocupacional e recomenda que os médicos deverão solicitar às empresas a emissão de CAT para funcionários que contraírem o vírus ou casos considerados suspeitos.

Vale ressaltar que desde o início da pandemia o Sindserv SBC vem lutando pela segurança dos servidores. Garantimos liminar que determina que o a prefeitura forneça máscaras faciais e álcool gel e, também, mantenha sabão para lavagens das mãos em local apropriado, além de providenciar a desinfecção dos ambientes pela equipe de limpeza, ambos de forma constante.

Para que seja emitida a CAT, será necessário agendamento prévio para avaliação dos documentos: cópia do atestado médico, relatório médico, exame/teste, RG, CPF, CTPS, PIS, comprovante de residência, holerite, funcional. O contato direto com o setor de segurança do trabalho do Sindserv SBC é  11 98942-1689.

Deixe um comentário