Em defesa dos servidores e do serviço público de qualidade

Sindserv SBC questiona a falta de banheiros para GCMs

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Novas denúncias dão conta de descaso do governo Orlando Morando com a Guarda Civil Municipal (GCM) de São Bernardo do Campo. Desta vez o Sindserv SBC cobra da prefeitura melhores condições de trabalho de guardas que atuam em rondas em pontos específicos da cidade. Em ofício encaminhado à Secretaria de Administração, o sindicato questiona a falta banheiros para quem atua diariamente sem a possibilidade de pausas para fazer suas necessidades.

“Quem está em uma viatura, por exemplo, fica à própria sorte. Falta bom senso por parte do comando, que não deixa a gente fazer as saídas”, criticou um GCM, pedindo para não ser identificado com medo de represálias por parte do governo. Também são questionados os locais em que os guardas são orientados a estacionar pela cidade durante as rondas.

“Não há condições mínimas. A exposição ao sol escaldante, por exemplo, a que somos colocados é evidente. Tem uma vulnerabilidade grande”, afirmou o guarda. Vale ressaltar que a jornada dos guardas é de 12 horas nessas condições. “Estamos em período de pandemia e as condições de higiene e limpeza são extremamente necessárias para a proteção de todos os trabalhadores do serviço municipal, inclusive da GCM”, aponta o documento que questiona a prefeitura.

Histórico –os servidores da Guarda Civil Municipal tem sofrido há anos com o descaso da administração Orlando Morando. No início da pandemia, os GCMs foram obrigados a transportar em suas viaturas pacientes com COVID-19, algo totalmente fora dos padrões sanitários ideais diante da pandemia. Mesmo após ação do sindicato na Justiça cobrando a derrubada da obrigatoriedade, a medida prevaleceu de acordo com a negativa do judiciário.

Além disso, após a reabertura de parques a categoria foi realocada pela prefeitura para medir a temperatura de munícipes na entrada dos próprios municipais. Em recente material publicado pelo sindicato, também foi constatada péssima infraestrutura para a Guarda na base central.

Deixe um comentário