Em defesa dos servidores e do serviço público de qualidade

Nota sobre a Resolução da Morte na Educação de São Bernardo do Campo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

O prefeito Orlando Morando recorreu até o TST (Tribunal Superior do Trabalho), na tentativa inócua, de anular os efeitos da liminar que garantem aos profissionais da educação o direito de trabalharem remotamente. Na decisão do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) a desembargadora deixou claro, em seu despacho, que tais profissionais só irão retornar presencial “quando todos os profissionais da educação forem vacinados ou a cidade estiver na fase verde”. Como sabemos, estamos bem longe de alcançarmos tais “metas”.

A atitude do prefeito diverge dos seus discursos. Na mídia e em redes sociais ele demonstra “preocupação”, mas na prática, como a Rede 112/2021 explicita, há total descaso à vida. Demonstra desprezo pela nossa categoria e ainda mostra o seu negacionismo à justiça – quando ignora a decisão judicial e “convoca” profissionais para retornarem presencialmente de uma hora para outra.

Já estamos fartas e fartos de negacionistas contra a ciência, contra educação, contra a humanidade, contra a justiça e contra a vida. Basta! Se o chefe do Executivo não se importa com o que vai acontecer com a população, caros colegas, não coloquem a vossa família em risco! Continuem trabalhando remotamente (não poderão cortar nosso ponto) e preservem a vida todos. Não sejam cúmplices desse péssimo exemplo para o mundo e para a história da humanidade.

Vamos nos unir e fazer resistência! Profissionais da educação, só retornam presencialmente quando todas e todos forem vacinados ou a cidade estiver livre de óbitos por Covid19 (fase verde).

Deixe um comentário